• Epidemia de COVID-19

    Com a dramática epidemia do COVID-19, a indústria europeia de sabões, detergentes e produtos e conservação e limpeza relembra o público sobre a importância das boas práticas de higiene.

    Recomendamos que se mantenha a par das notícias mais recentes sobre a epidemia através das autoridades de saúde do seu país. Caso não estejam disponíveis, consulte o site da OMS. Estas instituições facultam o seu aconselhamento especializado com base nas evoluções mais recentes.

    Boas práticas de higiene

    Em resumo:

    • Lave as suas mãos com frequência
    • Mantenha o distanciamento social
    • Evite tocar nos olhos, nariz e boca.
    • Pratique a etiqueta respiratória (ou seja, cubra a boca e o nariz com o seu cotovelo dobrado ou com um lenço quando tosse ou espirra)
    • Se tiver febre, tosse e dificuldade respiratória, siga os conselhos facultados pela autoridade nacional
    • Mantenha-se informado e siga os conselhos dados pelas autoridades de saúde do seu país

    No caso de achar que uma pessoa infetada com COVID-19 tenha estado em contacto com as suas superfícies ou vestuário, siga os conselhos da OMS e do ECDC, assim como os conselhos facultados pela sua autoridade nacional. Preste atenção a superfícies frequentemente tocadas como mesas, maçanetas de portas, interruptores de luz, balcões, pegas, secretárias, telefones, teclados, instalações sanitárias, torneiras e pias (fonte CDC).

    O que é o SARS-CoV-2? O que é o COVID-19?

    Síndrome Respiratória Aguda Coronavírus-2 (SARS-CoV-2) é o nome dado ao novo coronavírus de 2019. COVID-19 é o nome dado à doença associada ao vírus. SARS-CoV-2 é a nova estirpe de coronavírus que não tinha sido previamente identificada nos humanos (fonte ECDC) 

    Para mais informações:

  • Os detergentes e os produtos de conservação são seguros?

    Sim, os detergentes e os produtos de conservação são seguros desde que sejam utilizados e armazenados de acordo com as instruções do fabricante. Desta forma, é importante ler o rótulo e seguir as instruções apresentadas na embalagem.

    Os detergentes e os produtos de conservação têm de cumprir os requisitos legais nacionais e europeus antes de serem colocados no mercado; estes regulamentos garantem a segurança humana e ambiental. Os regulamentos aplicáveis são frequentemente suplementados pela orientação adicional voluntária da indústria nomeadamente para promover o manuseamento seguro e a utilização dos produtos.

    Muitos detergentes e produtos de conservação são rotulados com pictogramas de perigo e frases de perigo. A informação no rótulo refere-se ao produto concentrado na embalagem: não se refere ao produto em utilização, i.e. Quando é diluído durante a utilização (por ex.: quando se utiliza um detergente de lavar loiça à mão em 5 litros de água).

    A segurança do produto é a prioridade máxima da indústria. Todos os detergentes e produtos de conservação passam por rigorosos testes de segurança e avaliação antes de serem colocados no mercado. A avaliação de segurança inclui dados científicos fiáveis suficientes para apoiar a segurança do produto e análises regulares dos ingredientes e formulações à luz de nova pesquisa para manter os elevados níveis de segurança do produto.

  • Sofro de alergias. Como sei se um produto é adequado para mim?

    Se sofre de alergias é importante consultar o seu médico para identificar quais as alergias ou ingredientes que podem estar na origem do seu problema. Saber a que ingrediente é alérgico permite-lhe escolher os produtos que não contêm uma substância à qual é sensível. É exigido aos fabricantes de detergentes e produtos de conservação que listem os alérgenos mais comuns contidos num produto no seu rótulo e publicarem uma lista muito detalhada de ingredientes de detergentes online. O endereço do sítio web relevante pode ser encontrado no rótulo do produto. Também pode contactar a linha de apoio da empresa:  Deve constar um número de telefone e/ou endereço de e-mail no rótulo do produto. Em caso de dúvida, fale com o seu médico que pode solicitar à empresa uma ficha de dados médicos. Saiba mais sobre alérgenos.

  • Os detergentes/produtos de conservação são seguros para a minha pele?

    Os detergentes e produtos de conservação e manutenção são seguros quando utilizados e armazenados de acordo com as instruções de segurança e avisos apresentados na embalagem. É importante ler o rótulo e seguir as instruções apresentadas na embalagem, uma vez que os avisos variam de um produto para o seguinte e podem mudar com o tempo, por ex.:, se alterar a fórmula do produto.

    No entanto, é importante notar que determinados produtos, tais como desentupidores de canos por exemplo, são concebidos para serem corrosivos e podem irritar ou danificar seriamente a pele se utilizados incorretamente ou se forem acidentalmente derramados; é por isso - neste exemplo específico - que é fortemente recomendado o uso das luvas com desentupidores de canos corrosivos, como indicado na embalagem.

    As pessoas que suspeitam de que podem ter uma alergia a um detergente ou produto de conservação ou ingrediente, devem ler o seguinte artigo e consultar o seu médico se necessário.

  • Ouvi dizer que utilizar sprays de limpeza diariamente causa asma. É verdade?

    Os dados científicos globais não apoiam esta declaração. São realizadas avaliações de segurança completas antes da comercialização de qualquer produto. Os fabricantes tomam medidas para compreender de que forma os produtos serão utilizados e facultam instruções fáceis de seguir sobre como utilizar os produtos de forma segura.

  • Os ingredientes num detergente são biodegradáveis?

    Todos os tensioativos utilizados nos detergentes devem cumprir a legislação europeia, i.e. o Regulamento sobre Detergentes da UE. Este Regulamento requer que todos os tipos de tensioativos utilizados em detergentes e produtos de conservação (tensioativos aniónicos, não-iónicos, catiónicos e anfotéricos) devem ser maximamente biodegradáveis. Todos os detergentes têm de ser avaliados e os resultados documentados para controlo por parte das autoridades. Obtenha mais informação sobre a biodegradabilidade dos tensioativos aqui.

    No caso de ingredientes que não são tensioativos, a monitorização de organismos insuficientemente biodegradáveis está a ser feita por membros da empresa da A.I.S.E. Carta para Limpeza Sustentável. Esta monitorização apresenta um decréscimo na sua utilização desde 2005.

  • O que está a indústria a fazer em resposta aos desafios ambientais e de sustentabilidade?

    A indústria dos detergentes e produtos de conservação, através da A.I.S.E., é líder na condução do progresso sustentável através de uma longa história de iniciativas voluntárias. Estas iniciativas, cujo início data de 1997, já registou melhorias ambientais significativas.

    A Carta para Limpeza Sustentável é a principal iniciativa da indústria que conduz a produção sustentável, conceção e consumo de detergentes e produtos de conservação desde 2005, alcançando poupanças significativas em CO2, energia e embalagem. Observe as marcas da Carta.
     
    Na parte da frente ou verso do rótulo dos produtos e vai contribuir para o progresso sustentável.

    Durante o mesmo período, a indústria também apresentou poupanças significativas graças a várias iniciativas de compactação nomeadamente no sector dos detergentes da roupa. Sabia que a dose média recomendada em 20 anos foi reduzida para metade?

    Por último, a mais recente iniciativa relacionada com o plástico define ambiciosas metas para 2025 para aumentar a utilização de plástico reciclado e fazer embalagens de plástico utilizadas para detergentes e produtos de conservação recicláveis, reutilizáveis e/ou compostáveis.

    cleanright.eu destaca muitas destas iniciativas no capítulo sobre limpeza sustentável

  • O que é um produto de base biológica? Os materiais de base biológica são utilizados na indústria dos detergentes?

    Os produtos de base biológica são totalmente ou parcialmente derivados de biomassa. A biomassa é material de origem biológica, por ex.: Plantas (na sua totalidade ou em parte), árvores, algas, organismos marítimos, microrganismos, animais, etc. A biomassa pode ter passado por tratamento(s) físico(s), químico(s) ou biológico(s).

    O termo ‘produto de base biológica’ é frequentemente utilizado para se referir a um produto que seja parcialmente de base biológica. Nesses casos, a afirmação deve ser acompanhada por uma quantificação do teor de base biológica.

    Os materiais integrados em formações geológicas e/ou fossilizados não são considerados como sendo ‘de base biológica’. A indústria dos detergentes e dos produtos de conservação utilizam materiais de base biológica nos seus produtos, onde alguns ou todos os ingredientes de base fóssil são substituídos por outros de base biológica, por ex.: óleos derivados de plantas podem ser utilizados para produzir tensioativos. No entanto, as alternativas de base biológica não são intrinsecamente mais sustentáveis do que os recursos fósseis. Assim os benefícios decorrentes da utilização acrescida de materiais de base biológica exigem uma avaliação detalhada do ciclo de vida para evitar transferência de ónus. Obtenha mais informação sobre materiais de base biológica aqui.

  • Os detergentes compactados são seguros para o ambiente?

    Ao longo dos últimos vinte anos, a quantidade de detergentes da roupa utilizado na Europa diminuiu consideravelmente, mesmo considerando que se registou um aumento no número de cargas de lavagem de roupa. A diminuição continua, facilitada por uma série de iniciativas voluntárias conduzidas e coordenadas pela A.I.S.E.. Na Europa, nas últimas duas décadas, a compactação dos detergentes pela indústria conduziu a poupanças globais de 30 milhões de toneladas de produto; o que representa uma redução de 45%, enquanto no mesmo período o número de famílias na Europa aumentou em 20%, e o número de cargas de lavagem de roupa em 23%.  

    A compactação ajuda a reduzir a pegada ambiental dos detergentes. Foram conseguidas poupanças substanciais porque os produtos compactados oferecem o mesmo número de cargas de lavagem de roupa em embalagens mais pequenas, o que reduz as necessidades de transporte, tendo ambos os fatores reduzido as emissões de CO2 .

    Com a compactação do detergente, a quantidade de químicos ativos por lavagem permanecem os mesmos ou podem mesmo ser reduzidos graças a inovação tecnológica. Assim, em termos de segurança ambiental, os detergentes compactados são equivalentes ou mesmo melhores do que os seus antecessores menos compactos. A compactação do produto tem tido assim um impacto benéfico no ambiente.

    Saiba mais sobre produtos compactados

  • Posso misturar diferentes detergentes ou produtos de conservação?

    Os detergentes ou produtos de manutenção NÃO devem ser misturados. Toda a informação importante sobre como utilizar em segurança detergentes e produtos de conservação e como obter os melhores resultados pode ser obtida no rótulo do produto. As referências legais relevantes são também transmitidas na embalagem conforme o Regulamento CLP. Lendo cuidadosamente e seguindo as instruções facultadas, os utilizadores podem ajudar a protegerem-se a eles próprios e ao ambiente, conseguindo também um excelente desempenho para o seu produto.

    A indústria também desenvolveu uma série de ícones que vai encontrar nos rótulos dos produtos. Estes ícones de utilização segura apresentam a informação mais importante para o/a manter em segurança. De particular importância são os dois ícones seguintes: não misturar com outros produtos; e conservar unicamente no recipiente de origem. Isto deve-se ao facto de alguns ingredientes poderem ter uma reação química perigosa quando misturados, por ex.: não deve utilizar produtos para limpeza da sanita à base de lixívia e à base de ácidos ao mesmo tempo, pois pode causar uma reação química perigosa.

    Também não é seguro misturar ingredientes ‘naturais’ (por ex.: vinagre, álcoois, óleos naturais, etc.). Embora estes ingredientes sejam seguros para a sua utilização comum destinada, não se destinam a limpeza, especialmente quando utilizados em conjunto. O exemplo de misturar ácidos com lixívia não é uma prática segura, pois corre-se o risco de formação de cloro gasoso.

    Veja todos os ícones de utilização segura

  • Os desentupidores de canos são perigosos?

    Os desentupidores de canos têm uma função direcionada para desbloquear canos que poderiam estar obstruídos, às vezes em situação irreparável. As suas fórmulas (altamente alcalinas ou altamente ácidos) são assim concebidas para serem corrosivas e podem irritar ou danificar seriamente a pele se utilizadas incorretamente ou se derramarem acidentalmente. É por isso que é importante utilizar estes produtos de acordo com as instruções constantes da embalagem. O produto não deve ser perigoso se for utilizado corretamente, no entanto merece algumas precauções extra conforme indicam as respetivas frases de aviso.

    Alguns pontos de atenção para utilizar estes produtos de forma segura:

    • certifique-se de que o produto é mantido sempre fora do alcance das crianças.
    • utilize luvas quando manusear este tipo de produto
    • não deixe a pia/ralo obstruído sem vigilância - mantenha a divisão fechada durante o tempo completo de imersão.
    • feche sempre a embalagem com firmeza com o fecho de proteção para crianças, incluindo quando elimina a embalagem vazia no fim da utilização.
  • É seguro fazer o meu próprio detergente ou produtos de conservação com ingredientes naturais?

    Não é recomendado fazê-lo pelas seguintes razões.

    Há uma tendência crescente para detergentes e produtos de conservação caseiros ou Faça você Mesmo (DIY), que são feitos por consumidores que utilizam ingredientes geralmente disponíveis. Estas soluções caseiras podem ser consideradas pelo público em geral como mais baratas e mais seguras para o ambiente, pois são baseadas nos ingredientes conhecidos como ‘naturais’, tais como o vinagre, álcoois, óleos naturais, etc.. No entanto, embora estes ingredientes sejam seguros para a sua utilização geral pretendida, não se destinam a limpeza, especialmente quando são misturados.

    Não combine ácidos com lixívia, pois arrisca-se a que se crie cloro gasoso perigoso.

    Além disso, estas soluções caseiras não apresentam a informação adequada ao consumidor na embalagem para fins de limpeza. Isto significa que uma embalagem de mistura cadeira pode ser utilizada de forma desadequada ou não segura. Sem um rótulo que indique as propriedades perigosas dos ingredientes, pode erradamente imaginar que está em segurança. Quando estes ingredientes são vendidos como alimentos ou bebidas, encontram-se isentos de quaisquer disposições legais de rotulagem que se aplicam aos químicos. Se o vinagre se destinasse a fins de limpeza e fosse vendido como tal, devia estar rotulado por ex.: com o ponto de exclamação do CLP devido às suas propriedades de irritação ocular grave ou, se concentrado, com o pictograma para a corrosão devido ao perigo de lesão ocular.

    Os fabricantes dos detergentes e produtos de conservação conceberam-nos com o consumidor em mente, para assegurar que a tarefa da limpeza é alcançada de forma satisfatória ao mesmo tempo que asseguram a segurança dos consumidores. A segurança do consumidor e do ambiente são de importância fulcral no desenvolvimento de todos estes produtos. A abordagem da indústria baseia-se em critérios científicos bem reconhecidos e bem estabelecidos que cumprem com a legislação tais como os princípios de avaliação de segurança e o conceito da análise do ciclo da vida para avaliação da segurança ambiental. O consumidor recebe informação sobre como utilizar o produto de forma segura através da rotulagem na embalagem, incluindo determinados avisos de segurança.

  • Os detergentes e os produtos de conservação utilizam produtos químicos perigosos?

    Os fabricantes utilizam ingredientes que são essenciais para o funcionamento de um produto e como tal asseguram que o produto final no qual os ingredientes estão a ser utilizados são considerados como seguros quando utilizados de acordo com as instruções do fabricante. Vários regulamentos da UE requerem a avaliação da segurança ambiental e humana dos ingredientes dos produtos.

    A questão que se põe é “como é que a indústria avalia que um produto é seguro?” Os fabricantes consideram a conhecimento que têm sobre a forma como as pessoas utilizam os produtos em contextos diários, incluindo a forma como os produtos são eliminados. Depois, as avaliações de risco são realizadas nos ingredientes a serem utilizados para determinar como os produtos químicos podem ser utilizados de forma segura (i.e. as medidas relevantes necessárias para mitigar o potencial risco).

    Assim que for estabelecido que a utilização de um ingrediente é segura sob determinadas condições, e que estas condições correspondem à utilização correta, pretendida do produto, então o ingrediente é considerado como seguro para utilização no produto. Os fabricantes facultam toda a informação relevante e aconselhamento no rótulo do produto para que esses consumidores possam utilizar estes produtos de forma segura e eficiente.

    Um exemplo simples: o álcool pode ser utilizado num produto. Uma das propriedades do álcool é que é inflamável. No entanto, se o álcool for misturado numa solução à base de água, então esse risco está reduzido. Trata-se de uma medida de gestão de risco que está a ser tomada.

  • A indústria dos detergentes e dos produtos de conservação testa algum dos seus produtos em animais?

    A indústria dos detergentes e dos produtos de conservação está empenhada na eliminação dos testes em animais. Durante mais de 20 anos, pretendeu reduzir, refinar e substituir os testes em animais por métodos alternativos de substituição. A grande maioria de detergentes e produtos de conservação no passado alcançou o consumidor sem realizar testes de qualquer material em animais e vai continuar a fazê-lo no futuro.

    A A.I.S.E. É membro fundador da iniciativa Parceira Europeia sobre Métodos Alternativos aos Ensaios em Animais (EPAA). A EPAA é uma colaboração sem precedentes entre os serviços da Comissão Europeia, grandes empresas e associações comerciais de sete sectores da indústria. Os parceiros estão empenhados em conjugar conhecimento, investigação e recursos para acelerar o desenvolvimento, validação e aceitação de abordagens alternativas ao ensaio em animais.

    Como parte dos seus compromissos contínuos, em 2010 a A.I.S.E. lançou um programa para investigar a aplicabilidade de testes in-vitro para irritação/corrosão cutânea e ocular a detergentes e produtos de conservação. Isto levou a um progresso com sucesso reconhecido pela comunidade científica.

    A A.I.S.E. e os seus membros, juntamente com a EPAA e outros parceiros, vão continuar a procurar pesquisa científica e também a explorar abordagens alternativas ao ensaio a animais, assim como a pugnar pela sua aceitação oficial por parte de entidades reguladoras.

  • As cápsulas de detergente líquido da roupa são seguras?

    As cápsulas de detergente líquido da roupa são seguras quando são utilizadas como indicado e especificado na embalagem do produto. Devem ser apenas utilizadas para limpar roupas e como com todos os detergentes e produtos de conservação, devem ser guardadas de forma segura em especialmente fora do alcance das crianças, para evitar qualquer exposição acidental ou ingestão.

    Armazenar cápsulas de detergente líquido para a roupa num local seguro torna-se realmente importante quando tem crianças pequenas em casa, especialmente bebés quando começam a explorar a casa a gatinhar. Apresentamos as sugestões mais importantes para o/a ajudar a manter as cápsulas de detergente líquido para a roupa afastadas de forma segura das crianças, mas ainda assim facilmente acessíveis quando trata da roupa:

    • As cápsulas de detergente líquido para a roupa devem ser guardadas num local alto de preferência, fora do alcance das crianças.
    • Caso não seja possível, coloque-as num armário com bloqueio de segurança para crianças
    • Devem ser sempre guardadas na sua embalagem original, e a embalagem deve ser sempre devidamente fechada.
    • Guarde as cápsulas separadamente de outros produtos correntes tais como produtos alimentares ou de cuidado pessoal.

    Estas regras simples mais importantes são fáceis de aplicar e vão impedir as crianças de se magoarem na sua casa devido a contacto indevido com um produto ao qual nunca deveria ter acesso. A mensagem mais importante é a de manter as cápsulas afastadas das crianças. Saiba mais sobre a utilização segura de cápsulas de detergente líquido para a roupa no sítio web dedicado www.keepcapsfromkids.eu

  • Porque é que os rótulos dos detergentes e produtos de conservação são tão complicados?

    As empresas que fabricam os detergentes e os produtos de conservação têm consciência de que os rótulos dos seus produtos estão repletos de informações e detalhes técnicos que podem ser difíceis de ler e estão empenhados em tentar simplificá-los. A razão de os rótulos serem tão complicados é devido à quantidade de texto que um rótulo pode conter legalmente.

    Há requisitos legais para comunicar informação sobre os ingredientes, os alérgenos e as precauções para assegurar a utilização segura de três regulamentos relevantes no rótulo, e às vezes esta informação sobrepõe-se. Cada produto também deve facultar informação específica sobre a sua utilização. Em complemento a este texto, também vai encontrar pictogramas a indicar como utilizar o produto de forma segura - tratam-se de ícones da indústria que são mais visuais do que o texto.

    Para mais detalhes, veja o vídeo sobre como ler o rótulo.

    O diálogo está atualmente implementado entre a indústria, os decisores políticos da UE e os vários intervenientes para procurar otimizar a rotulagem dos produtos no futuro, por ex.: disponibilizando a informação online.

  • Como sei que ingredientes estão no meu produto?

    O Regulamento sobre os Detergentes define regras relativamente ao que é necessário incluir nos rótulos de detergentes e produtos de conservação. O objetivo principal é assegurar que os consumidores têm conhecimento do que se encontra no produto para que, no caso de você ou alguém da sua família ter uma reação alérgica, possa fazer uma escolha informada quando seleciona um produto. Os ingredientes são frequentemente agrupados em famílias de ingredientes no rótulo, com informação mais detalhada disponível online.

    O regulamento de Classificação, Rotulagem e Embalagem especifica que um rótulo de um produto deve facultar a lista dos ingredientes que desencadearam a classificação específica do produto

    Saiba mais sobre o que consta do rótulo do seu produto

  • O que são microplásticos e microesferas? São utilizados nos detergentes e produtos de conservação?

    Os microplásticos podem ser intuitivamente definidos como peças de plástico muito pequenas, com menos de 5mm. No entanto, atualmente não há definição harmonizada científica acordada sobre o que é um microplástico e esse assunto está a ser discutido pela Agência Europeia das Substâncias Químicas (ECHA) com especialistas de Estados-Membros da UE. As microesferas são os microplásticos utilizados numa mistura com uma função específica como abrasivo i.e. para exfoliar, poliar ou limpar.

    O sector dos detergentes e produtos de conservação está atualmente a avaliar que tipos de microplásticos estão no âmbito da definição da ECHA. A A.I.S.E. Está também a trabalhar ativamente com a ECHA sobre aspetos técnicos e científicos dos microplásticos relacionados com a solubilidade e biodegradação das partículas microplásticas.

    No que se refere às microesferas, a indústria dos detergentes e produtos de manutenção já substituiu ativamente não-plásticos por microesferas plásticas e as quantidades restantes nos produtos são muito baixas. No passado, produtos específicos que precisavam de propriedades abrasivas (por ex.: para a limpeza suave de superfícies duras e delicadas tais como cerâmica ou vidro) utilizaram intencionalmente microesferas de plástico adicionadas intencionalmente. A pesquisa e a disponibilidade de alternativas (tais como ingredientes naturais como a sílica) permitiram uma redução significativa nas quantidades utilizadas. A indústria apoia a descontinuação de microesferas como abrasivos em 2020, conforme proposto pela ECHA.

  • O que são desreguladores endócrinos? Os detergentes e os produtos de conservação contêm desreguladores endócrinos?

    Desregulador endócrino é um termo utilizado para nos referirmos a determinadas substâncias que causam efeitos nocivos interferindo com o funcionamento do sistema hormonal. As hormonas são substâncias naturalmente presentes produzidas no corpo como parte do sistema ‘endócrino’. Agem como mensageiros químicos que ajudam a controlar uma enorme variedade de processos que vão da reprodução à imunidade, metabolismo e comportamento. 

    Não há substâncias utilizadas em detergentes e produtos de conservação que tenha ficado demonstrado que causam dano a pessoas, animais de companhia ou outros animais, interferindo com a sua função hormonal, pois a utilização desses foi banida legalmente.

    A UE tem controlos rigorosos sobre os ingredientes utilizados nos detergentes e produtos de conservação. Há mais de dez anos, foi elaborada uma lista de mais de 550 substâncias, sugerida por vários grupos a serem investigadas como sendo potenciais desreguladores endócrinos. Muitas delas são pesticidas que foram banidos há muito tempo.

  • Há conservantes nos detergentes e produtos de conservação?

    Sim, os conservantes são ingredientes-chave para a indústria dos detergentes e produtos de conservação. São adicionados a produtos à base de água em quantidades muito pequenas para assegurar que não há proliferação de bactérias ou bolores no produto com o tempo. Graças a ingredientes conservantes, os produtos mantêm-se frescos durante o seu fabrico e transporte e também quando estão guardados nas lojas e casas, permanecendo ‘prontos a usar’ durante um período de tempo suficiente.

  • Os detergentes e os produtos de conservação libertam substâncias perigosas que eu respiro?

    A segurança das pessoas que utilizam detergentes e produtos de conservação é de fundamental importância para a nossa indústria, e os fabricantes têm uma longa história de trabalho para assegurar que os nossos produtos podem ser utilizados de forma segura quando os produtos são utilizados conforme instruções. Especificamente, os nossos produtos devem cumprir com o vasto conjunto de legislação da UE tal como o Regulamento sobre Detergentes, o Regulamento REACH, e o Regulamento sobre Classificação, Rotulagem e Embalagem de Substâncias e Misturas (CLP) entre outras. As empresas membros da A.I.S.E. Utilizam dados de exposição (seja de medições diretas de emissões ou modelação) para garantir aos consumidores que os produtos podem ser utilizados de forma segura. Estes dados formam apenas parte de uma avaliação regulamentar e de segurança completa de produtos conduzida por empresas membros da A.I.S.E. Antes da comercialização. As empresas também monitorizam de perto e analisam a experiência do consumidor com os seus produtos (‘vigilância pós-comercialização’) e podem assim identificar quaisquer problemas inesperados encontrados na utilização.

    O processo global da avaliação da saúde humana e do impacto ambiental incluem:

    • Avaliação de perigo e caracterização de matérias-primas
    • Avaliação de exposição do consumidor
    • Avaliação do produto e do risco específico de utilização
    • Vigilância pós-comercialização para confirmar o resultado dos procedimentos de análise da segurança dos produtos.
  • O que são componentes orgânicos voláteis? Como posso saber se os detergentes e os produtos de conservação os libertam?

    Os componentes orgânicos voláteis (COV) são compostos químicos orgânicos que evaporam facilmente a temperatura ambiente. Há centenas de COV à nossa volta nas nossas vidas diárias e há fontes naturais e sintéticas de COV. São libertados em grandes quantidades pelas árvores (especialmente variedades de pinho), frutas (especialmente citrinos), e também através da respiração humana. 

    A informação sobre os ingredientes por casa produto encontra-se listada nos sítios web de empresas individuais em complemento a rotulagem clara e mais extensiva na embalagem, aplica-se a todos os produtos detergentes assim como a produtos de cuidados do ar aplicando o programa de administração de produtos voluntária da A.I.S.E.

    Tal como qualquer outro ingrediente, os COV passam por uma rigorosa avaliação quando utilizados em qualquer produto.

  • O que faz a indústria para assegurar a segurança dos seus produtos de cuidados do ar?

    Em 2007, a A.I.S.E. Conduziu o desenvolvimento de um código de prática voluntário conhecido como o “Programa de Administração de Produtos de Cuidados do Ar”. As empresas que assinaram o programa comprometeram-se a cumprir uma série de critérios que visavam promover as melhores práticas na indústria através de fabrico e comunicação responsáveis. Requer que as empresas avaliem de forma rotineira os ingredientes dos seus produtos para reassegurar aos consumidores que são seguros na sua utilização. Também requer que as empresas comuniquem a informação específica de ingredientes por cada produto em sítios web individuais da empresa em complemento a rotulagem mais clara e mais extensiva na embalagem. A finalidade do programa de 2007 é permitir aos consumidores fazerem escolhas acertadas e a utilizarem os produtos em segurança.

    A A.I.S.E. Atualizou o programa da indústria em 2016, incluindo novos compromissos para os consumidores e autoridades sobre o controlo adequado dos produtos no mercado. A iniciativa atualizada aumenta os compromissos tanta para a produção de ambientadores de ar combustíveis e para uma comunicação adequada assim que os produtos estejam prontos a serem comercializados. Os ambientadores de ar combustíveis têm de ser testados antes de serem colocados no mercado para assegurar que as emissões geradas durante a utilização encontram-se abaixo dos valores limites de exposição definidos pela OMS e, como tal, não representam um perigo para a saúde humana. A indústria é responsável por assegurar que o consumidor está protegido também através de comunicação adequada sobre como utilizar de forma segura os produtos. Isto é conseguido através de uma rotulagem adequada do produto e da disponibilização adicional sobre a composição do produto para aqueles que possam estar interessados através do sítio web da empresa.

  • O que devo fazer se fizer uma reação a um produto de cuidados do ar?

    Se notar que as suas reações alérgicas são mais intensas quando tiver utilizado um produto de cuidados do ar, deve parar de utilizar o produto e procurar aconselhamento do seu médico. De acordo com a iniciativa da A.I.S.E. Para assegurar um fabrico e comunicação responsáveis sobre os produtos de cuidados do ar, a rotulagem dos produtos de cuidados do ar inclui a instrução “pessoas que sofrem de sensibilidade a perfumes devem ser ser cautelosos quando utilizarem este produto”.

  • O que está a indústria a fazer para reduzir a quantidade de plásticos utilizada para os seus produtos?

    A embalagem é fundamental para evitar o vazamento do seu produto, para assegurar uma utilização segura, para proteger os produtos durante o transporte e para possibilitar uma dosagem correta. No entanto, é essencial que a embalagem seja corretamente recolhida e eliminada para assegurar que é devidamente reciclada e que os impactos potencialmente adversos são evitados.

    Em janeiro de 2019, a A.I.S.E. Abriu uma iniciativa voluntária sobre a embalagem de plástico que está aberta a todos os fabricantes de detergentes e produtos de conservação. Esta iniciativa visa aumentar a captação de teor reciclado nas embalagens de plástico ao longo dos anos seguintes. A participação nesta iniciativa da indústria está aberta a todas as empresas, quer sejam ou não membros da A.I.S.E. E seus membros nacionais.  

    Os compromissos são, em 2025:

    • Um mínimo de 20% de volume do material de plástico reciclado na embalagem de todos os detergentes domésticos e produtos de conservação no portfólio da A.I.S.E.; 
    • Assegurar que todos as embalagens de plástico para os detergentes e produtos de conservação podem ser recicláveis, reutilizáveis ou compostáveis.

    A A.I.S.E. Vai monitorizar o progresso ao longo dos anos e vai fomentar a permuta das melhores práticas, colaboração na cadeia de valor assim como facultar a orientação para a indústria a nível geral.

    Em complemento, os consumidores vão continuar a serem encorajados a ajudar reciclando embalagens, utilizando produtos de recargas de acordo com os seus sistemas de recolha locais.

    Saia mais sobre a iniciativa da indústria

  • Porque decidiram estabelecer a meta para 20% para a captação de material reciclado?

    A meta é definida como objetivo mínimo e as empresas são encorajadas a alcançarem metas mais ambiciosas. Ao mesmo tempo, a iniciativa visa abranger o sector europeu dos detergentes e produtos de conservação no geral. A meta foi definida como realista e implementável por o máximo de intervenientes no mercado possíveis. A A.I.S.E. Vai monitorizar as tendências ao longo dos anos graças ao relatório de dados anual no contexto da iniciativa e avaliar se será necessária uma reconsideração desta meta.

Pesquisar

Pesquise aqui para mais informação

Contacte-nos

Pesquise aqui para mais informação

Contacte a A.I.S.E. Para mais informação sobre os tópicos abrangidos neste sítio web. Esteja ciente de que não respondemos a questões que sejam específicas da marca ou de natureza comercial.

Concordo com a política de privacidade da A.I.S.E. relativamente ao processamento e utilização de dados pessoais.*
Enviar