Sabia que 89% dos consumidores da UE* sentem que quando a sua casa está limpa, dá-lhes paz de espírito? Não tome a sua saúde como garantida. Manter as nossas casas limpas e ter bons hábitos de higiene é vital para a nossa saúde, assim como para o nosso bem-estar. Sendo algo feito devidamente, de forma segura e sustentável, não precisa de ser sequer uma obrigação. Os bons hábitos são essenciais para a nossa boa saúde.

Primeiro vamos esclarecer o que pretendemos dizer quando falamos de limpeza e higiene.

Limpeza e higiene - o que significam?

Limpeza é a remoção mecânica ou química de sujidade e terra do corpo humano, de um objeto ou de uma área. Geralmente, a limpeza com sabão ou detergente seguida pelo enxaguar com água é adequada para remover sujidade visível e alérgenos. A limpeza também reduz o número de micróbios nas mãos, superfícies e tecidos.

Desinfeção é a utilização orientada de um desinfetante para ajudar a prevenir a propagação de infeção em situações em que existe um risco elevado de transmissão de micróbios perigosos (por ex.: Quando alguém está infetado ou é vulnerável a infeção). Estes produtos evitam a propagação da infeção ao desativarem ou matarem organismos nocivos.

Higiene: é a prática através da qual as pessoas mantêm ou promovem boa saúde. Limpando-se a si próprios e às áreas circundantes, limpando e - quando necessário - desinfetando superfícies, mãos, unidades, áreas circundantes e artigos de utilização pessoal para quebrarem a corrente de infeção, tudo contribui para a higiene. Outras medidas de higiene são, por exemplo, manter uma determinada distância de uma pessoa doente.

Limpeza e higiene em casa - alguns princípios básicos

Limpamos a nossa casa porque gostamos de viver em locais agradáveis. Mas as práticas de limpeza que realizamos nas nossas casas também têm impacto em manter a nossa saúde.

  1. As práticas de rotina que utilizamos para manter as nossas casas com bom aspeto e a cheirarem a limpo dão-nos um sentimento de bem-estar que contribui para manter a saúde;
  2. A limpeza de rotina reduz os níveis de ‘sujidade’ e insetos tais como os ácaros do pó, piolhos, etc., de cada que podem ter um efeito prejudicial na nossa saúde, por ex.: Alérgenos encontrados na poeira podem causar alergias como a asma;
  3. A limpeza de rotina para remover o lixo, a poeira e partículas de comida desencorajam a presença de ratos, baratas etc. em casa;
  4. A limpeza regular de roupa de cama ajuda a prevenir problemas com percevejos;
  5. A limpeza de rotina reduz níveis de fungos que crescem em locais húmidos como a cozinha, casa de banho e sanitários que podem causar sintomas respiratórios;
  6. As práticas específicas (por ex.: Limpeza, desinfeção, aplicação de calor) que realizamos para evitar a propagação de micróbios perigosos são importantes para nos proteger da exposição a micróbios perigosos que podem causar doenças infeciosas.

Para as atividades 1 a 5 acima, é utilizada uma rotina de limpeza diária ou semanal para manter estes potenciais perigos a níveis aceitáveis. Mas limpar para evitar infeções é diferente.

Leia mais sobre quebrar a corrente da infeção através da higiene direcionada.

*Inquérito da A.I.S.E. Ao consumidor em 2020 em 23 países da UE

Este artigo foi escrito em coautoria com a Professora Sally Bloomfield que é Presidente e membro do Conselho Consultivo Científico do IFH ASSIM COMO Professora Honorária da London School of Hygiene and Tropical Medicine. A Professora Bloomfield é uma reconhecida especialista em higiene doméstica, com mais de 30 anos de experiência em investigação de ensino de higiene. 

O Fórum Científico Internacional (IFH) foi criado em 1997 para desenvolver e promover a higiene em casa e em ambientes da vida quotidiana com base em sólidos princípios científicos.

Nota

cleanright.eu utiliza o termo micróbios para se referia tanto a microrganismos benéficos como nocivos. Não utilizamos o termo ‘germes’ porque esta palavra é frequentemente confundida e incorretamente percecionada como referindo-se a ‘micróbios nocivos’.