Os bons produtos de limpeza e conservação baseiam-se em boas fórmulas químicas para um bom resultado. Os fabricantes envidam todos os esforços para assegurar que os seus produtos são de utilização segura através de testes rigorosos e facultando instruções ‘fáceis de seguir’ e rotulagem.

Mas como determinam os fabricantes o que é seguro e não? Como são estabelecidos os níveis de ‘perigo’ e de ‘risco’?

Quando se lida com as características de segurança de ingredientes químicos, é importante compreender o significado preciso da terminologia utilizada. Por exemplo, muitas pessoas utilizam os termos perigo e risco como se fossem intercomutáveis, mas, na verdade, estas palavras têm significados muito diferentes.

Qual a diferença entre risco, perigo e exposição?

Um perigo químico é a capacidade intrínseca de causar efeitos secundários. O risco é a probabilidade de que esses efeitos vão ocorrer nas aplicações em que o químico é utilizado.

PERIGO A forma pela qual o objeto ou a situação pode causar dano à saúde e/ou ao ambiente

x

EXPOSIÇÃO A extensão à qual o provável destinatário do dano é exposto, ou pode ser influenciado pelo perigo 

=

RISCO A possibilidade de o dano ocorrer efetivamente

Atravessar a estrada, por exemplo, é uma ação perigosa, pois pode terminar num acidente. Mas ninguém sugere a sua proibição. Neste exemplo, as diretrizes e as medidas de segurança sob as quais a ação é desempenhada reduz o risco para níveis aceitáveis. O mesmo princípio pode ser aplicado aos produtos químicos.

Para um produto químico, deve ser considerada uma avaliação de risco não só para os perigos intrínsecos desse produto químico mas também a forma como estes perigos podem ser mitigados limitando a exposição a níveis aceitáveis.  Como tal, é essencial facultar informação sobre produtos químicos com base em perigos e avaliações de risco, para facultar aos clientes e utilizadores finais uma compreensão adequada sobre as questões de segurança envolvidas. 

Ao fazer isso, a indústria demonstra o seu compromisso para com a utilização responsável dos seus produtos, tanto para a segurança humana como para o ambiente.

Avaliar e gerir o rosco de produtos químicos 

Para gerir o risco, os produtores de produtos que utilizam ingredientes químicos consideram as conclusões das avaliações de risco quando desenvolvem as suas fórmulas. Com base nestas conclusões, determinam de que forma o risco pode ser reduzido, e comunicam aos clientes e utilizadores finais a informação relevante sobre como utilizar o produto de forma segura e as medidas de redução de risco adequadas a tomar.

Esta informação é comunicada através de vários canais, incluindo o sítio web do fabricante, linha de apoio ao cliente e o rótulo ou a embalagem do próprio produto.